21767
post-template-default,single,single-post,postid-21767,single-format-standard,qode-social-login-1.1.2,qode-restaurant-1.1.1,stockholm-core-1.0.8,woocommerce-no-js,select-child-theme-ver-1.1,select-theme-ver-5.1.5,ajax_fade,page_not_loaded,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Armário cheio e nada para vestir

Armário cheio e nada para vestir

Ainda é muito comum esta sensação de termos o armário cheio e nada para vestir. O que origina esta sensação e como podemos mudá-la? Abrir o armário é um gesto que fazemos diariamente.

A roupa que escolhemos condiciona o estado de espírito com que vamos encarar o dia. Nesse sentido é importante que consigamos transformar esta fase do dia num momento agradável.

Neste artigo vou apresentar dicas para alterar esta sensação de armário cheio e nada para vestir. Dessa forma, melhorarmos a nossa relação com o nosso armário e com a nossa imagem.

Armário cheio e nada para vestir

1 – Retirar tudo do armário

Este é o primeiro passo que assusta muita gente. Tenho de retirar mesmo tudo? Sim, desta forma vais perceber exatamente o que tens no armário e poder fazer a etapa seguinte separação de peças. Uma amiga confessava-me, meio a sério meio a brincar, que as peças desapareciam durante a noite do armário. Num armário organizado a hipótese de peças desaparecerem ou de termos peças tão escondidas que nos esquecemos delas é menor.

2 – Organizar e separar as peças

A segunda fase do processo consiste em separar as peças em vários grupos em cima da cama. O grupo de peças para doação ou venda, o grupo de peças para armazenamento, o grupo de peças para arranjos, o grupo de peças para reciclar e o grupo de peças para voltar para o armário.

No grupo de peças para doação ou venda devem ser colocadas as peças que não te fazem sentir bem, que já não te servem ou que já não vais usar mais. Hoje em dia há muita gente a vender via Instagram ou a participar em mercados de Trocas por exemplo. Outra opção é doares a alguém da família ou amigas há sempre alguém que vai ficar feliz com as peças que já não fazem sentido no teu armário.

As peças a armazenar são aquelas com as quais tens uma relação emocional e não te consegues mesmo desfazer mas que já não vais usar nunca mais. Guarda-as numa arrecadação ou num armário secundário.

As peças a voltar ao armário são aquelas que te fazem sentir linda e confiante. Estas são as peças que desejamos que durem para sempre. Quando te aperceberes disto vais comprar cada vez mais com atenção à qualidade das peças e cuidar muito bem delas para que durem mesmo para sempre (ou quase).

3 – Testar combinações com as peças favoritas

Antes de arrumar o armário testa as combinações com as peças selecionadas. É nesta altura que deves arriscar. Experimenta umas calças de festa com uma t-shirt branca e um blusão de ganga por exemplo. Muitas vezes categorizamos as peças como sendo exclusivamente de festa, ou de trabalho ou de fim de semana. No entanto, quanto mais criativos formos nas combinações, mais versátil se torna o nosso armário. Se conseguires fotografa as tuas combinações preferidas desta forma vai ser mais fácil vestires-te em dias sem inspiração.

4 – Organizar o armário por cores e tipo de peças

Organiza as peças a voltar ao armário por cores e tipo. Acima de tudo deves garantir que estão todas à vista para que a tarefa de te vestires de manhã seja facilitada.

5 – Fazer uma lista com as peças em falta e atribuir prioridades

O último passo do processo é fazer uma lista com eventuais peças que detetes que fazem falta e atribuir prioridades para a compra das mesmas. Pesquisa online algumas hipóteses de acordo com os teus critérios. A qualidade deve ser um factor a ter em conta. Imagina que procuras um blazer preto. Esta é uma peça que sendo de qualidade pode durar anos e, no meu ponto de vista, vai fazer falta no armário a vida toda. Desta forma, comprar um blazer com pouca qualidade que vai perder a cor e ter de ser substituido rapidamente não faz sentido. Outro factor que priveligio está relacionado com os valores de sustentabilidade das marcas. Atenção que esta questão vai muito além da matéria prima com que são feitas as peças. Podes ler mais sobre este assunto aqui.

Num inquérito que fiz recentement no Instagram a maioria das pessoas respondeu que usava 50% ou menos da roupa que tinha no armário. Isto significa à partida que o armário não está limpo e organizado e que as compras não são feitas de forma consciente.

Manter o armário organizado e apenas com as peças que nos fazem felizes simplifica as nossas escolhas. Acima de tudo liberta espaço e recursos para outras experiências na nossa vida. A organização do armário é o primeiro passo para um estilo de vida mais consciente vamos a isso?

Se sentes que precisas de alguém para te ajudar nesta tarefa ou se queres aprender a organizar o teu armário e a fazer compras de forma mais consciente fala comigo estou aqui para ajudar.

Acompanha-me no Instagram é lá que vou deixando diariamente looks de inspiração, dicas de organização do armário e de compras conscientes.

Armário cheio e nada para vestir

No Comments

Post a Comment